expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Blog's image

Seguidores da tenda

Jogo de cartas ciganas

Jogo de cartas ciganas
Mandando para 21 9 7989 8911 uma pergunta objetiva, seu nome completo e data de nascimento voce participa do sorteio de UMA PERGUNTA GRATUITAMENTE. Resultados postados aqui no blog, SEM exposição do nome.

29 abril 2013

A lua e seus designos



          É a lua quem rege os mares. As magias ciganas devem ser na feitas na lua correta. Isto em se tratando de linha cigana e alguns outros povos orientais.
         
         Assim como as magias, alguns chás também devem ser tomados na lua correta. Chás para engravidar, chás ciganos, ervas colhidas e preparadas em lua correta para determinado objetivo.

       Observem como o mar também é influenciado pela lua correta. Deus criou a lua para que o mundo quando fosse noite, não se transformasse em escuridão plena. Deus é Pai de nós e do universo, Ele é sábio e pensou em tudo. Deus não se confunde em detalhe algum, faz tudo certo, e com a lua não é diferente.

        Não tenho permissão divina para falar sobre magias com lua e nem quero, mas posso afirmar que um banho que você tome e ofereça aos povos ciganos ou a Iemanjá na lua correta tem mias força e poder. Há quem ache besteira, mas isto se chama fé. Porque você diz: "Fiz em tal lua, tal coisa, e pronto, seu campo magnético aliado a sua fé se uni cada vez mais".

        Um banho, por exemplo, ou chá para retirar desespero, ansiedades e \ ou coisas do tipo deve ser feito em lua minguante. É oferecido a algum cigano ou alguns ciganos, de preferência a que cuide de você ou do seu caso.

        Um banho e chás para engravidar deve ser feito nas luas: cheias, nova ou crescente. Filhos, nunca para engravidar deve ser feito em lua minguante, eu disse NUNCA. Claro que quando você faz um chá, banho, erva, magia, coisas do tipo eles te falaram modo e lua correta para se fazer. Sempre observe a lua.

     Cigana Ramira (cuida dos partos difíceis) e Cigana Sulamita também. Você pede, né, e se passam alguma erva você faz na lua designada correta. 
  
       Para gestações a lua Nova é boa, porque indica que algo cresce em sua barriga, é a vida se renovando.

       Para gestações a lua Cheia é boa também, porque indica que é o amor do casal que criou frutos, mas a minguante, mingua a vida. Não faça na Minguante!

       Então é isto, meus aores, tenham cuidado com a lua. A lua no deserto ilumina o céu da escuridão total. Era assim no meu tempo de encarnada. E continua sendo assim até hoje. Quando foresm pedir algo aos ciganos, pois nós trabalhamos muito com os elementos da natureza: Sol, Lua, Estrela, Vento (forte), brisa (leve), Terra... Sepre peça aos CIGANOS DE LUZ DO ASTRAL, para não acabarem evocando todos os ciganos e assim os de pouca luz.

       Lembrem - se sempre de pedir aos ciganos de luz do astral.


Por Cigana das Flores, Cigana das Cores do oriente.

Luz, paz e pétalas de flores em teus caminhos.

Santa Sara vós proteja!

Canalizado pelas médiuns: Sofia Clara e  Esmeralda

Em 20 de Aril de 2013.




25 abril 2013

Mensagem da Cigana Velha da Estrada


Boa noite, neste domingo uma formosa e experiente cigana veio nos visitar (a mim e a Esmeralda) e nos deixou esta frase:

(Clique na imagens e ela ampliará).



A lua e a fogueira


                 
(Clique na imagem e ela ampliará).



A lua abrilhanta o céu na noite escura e fria,
enquanto que a fogueira tem papel fundamental aquecendo os corações dos que amam,
Dando força e paciência aqueles que esperam.
Deus é todo poder, justiça e bondade SUPREMA e nunca nos abandona,
nós somos que nos distanciamos DELE.
Devemos orar todos os dias,
nós espíritos também oramos e muito.
Aquelas graças urgentes que não podemos resolver,
porque Deus diz que vocês precisam passar, então sabe essas graças, filhos?
Nos conseguimos, mas não por nós.
Nós conseguimos apenas pedir a DEUS,
pois ELE é quem consegue.
Fiquem com Pai Oxalá.






Reflexão ditada por uma cigana que é do Oriente,
pelas pessoas Sofia Clara e Esmeralda.


Em 20 de Abril de 2013




A alegria e o canto dos pássaros tem a mesma proporção





Hoje agraciada pela companhia maravilhosa de Cigana Sete Saias do Oriente, ela vem nos agraciar alegre como sempre e com suas poesias e frases poéticas...

Ela acabou de soltar a frase: "A alegria e o canto dos pássaros tem a mesma proporção".

De modo breve ela explica que os pássaros são livres de moradas, assim como os ciganos. E que a alegria faz morada em cada um deles, que mesmo com problemas, traz no peito uma alegria exaltando a Deus o dom da Vida Eterna.

E nos deixa uma pergunta: Você já agradeceu a Deus pelo brilho do Sol hoje? Pelo ar que respira? E pelos problemas que te fazem mais forte? Ou você está ainda chorando no lugar de ir atrás procurar uma solução?




Pensamento psicografado por Sofia Clara e Esmeralda, 
pelo espírito de imensa luz da Cigana Sete Saias do Oriente!


Em 20 de Abril de 2013



03 abril 2013

Ciganinha da Praia do Oriente



(Imagem ilustrativa de como se parece aproximadamente esta cigana)




Não é Cigana da Praia. É Ciganinha da Praia, justamente pelo seu desencarne ter sido tão novinha. A falange dos espíritos que compõem o nome Cigana da Praia já são espíritos que desencarnaram em idade um pouco mais avançada.



Eu estava no astral quando sua cigana chegou me pedindo se eu poderia falar sobre mim à você. Eu não entendi bem do que se tratava, mas ela me disse que vocês duas faziam um trabalho de levar um pouquinho mais de nós e de nosso trabalho as pessoas terrenas e que não tem como dar as moedas necessárias para comprar os livros para ler sobre nós.


Então eu vim com prazer para contar um pouco da minha história e como eu trabalho, mas só posso contar um pouco.


Meu desencarne foi no ano de 1866, quando eu estava na semana que iria completar os meus 16 anos terrenos.


Bem no iníciozinho antes de eu encarnar eu já trabalhava no astral a muito tempo, mas um dia me pediram e também perguntaram se eu não gostaria de dar alegria a uma mulher chamada Francisca. Tratava – se então de uma cigana bonita, mas muito maltratada pela vida e também pelo marido. Todos ciganos. Me mostraram em qual acampamento cigano eu ficaria, ou seja, em qual grupo. Esta mulher era boa, um pouco amarga pela vida que levava, mas boa, apanhava muito do marido, como era de costume naquela época e com os ciganos não era diferente.


Ela tinha dado ao marido seis filhos homens. Na tradição cigana quando você dava um filho homem, você era tratada como uma rainha pelo seu marido. Era sinal de que você era abençoada por Deus, Nosso Senhor. E coitada da mulher que só dava filha mulher ao marido, era tratada como uma mulher que não era capaz de dar um filho homem, e recebia menosprezo sempre, não só de seu marido, bem como de todos os mais velhos que sempre davam exemplos de inúmeras ciganas que davam filhos homens.


Pois bem, esta mulher chorava muito, porque ela tinha conseguido dar 6 filhos ao marido, mas nenhum desses filhos era uma mulher. Então me perguntaram se eu não gostaria de reencarnar para dar um pouco de alegria a esta mãe, a esta mulher.


Embora eu tivesse o meu trabalho no astral eu aceitei, pois eu passei a acompanhar como ter uma filha era algo precioso para aquela mulher, chamada Francisca.


Um dia ela pediu e chorou tanto nas margens de um rio, pediu tanto clemencia a Deus, ela chorava e pedia muito uma menina, pois já que ela deu os filhos homens que o marido tanto queria, pedia a Jesus que enviasse uma menina para os braços dela. E assim eu resolvi encarnar. Aceitei o pedido. A gestação foi boa. E quando eu reencarnei e ela soube que era uma menina ela ficou muito feliz.


Acontece que eu pedi ao astral que eu ficasse apenas por um período de tempo determinado, os quase 16 anos nesta terra, e assim Deus me concedeu. Consegui ser um instrumento do Senhor dando alegria a minha mãe terrena e voltei para continuar o meu trabalho no astral.


Como era de costume, quando eu nasci logo fizeram um pacto de eu me casar com o filho de uma família de um outro grupo cigano, mas eu não os conhecia (nem ele e nem a família dele).





O tempo passou, eu aprendi desde pequena a ler moedas e as mãos das pessoas, desde muito novinha mesmo eu comecei a aprender. Eu treinava enquanto minha mãe fazia a comida junto com as outras ciganas, ali mesmo, perto dela para que ela me ensinasse se eu errasse algo, pois estava aprendendo. E ai quando as ciganas saiam para ler a sorte das pessoas eu ia junto e ia lendo também. Eu gostava, fazia pelas moedas, porque precisávamos comer, mas eu gostava de fazer o que eu sabia fazer de melhor, ler a sorte das pessoas através das mãos delas e pelas moedas.


Eu tinha sonhos, queria muito conhecer o meu noivo, me casar, ir morar no acampamento dele, ter meus filhos e fazer tudo o que a minha mãe fazia pela gente, meu sonho era fazer de nem ela. Aliais ela era o meu espelho de exemplo cigano. Eu a amava muito, como qualquer filho ama a mãe.


Vocês sabem, cigano era tratado como um animal e sem respeito algum. Eu nasci na Espanha e nunca sai dela, mas nós imigrávamos de um local ao outro, pois era muito perigoso ficarmos em um lugar só, a sociedade não nos permitia.


Como fazia frio naquele inverno europeu, nosso grupo saiu da parte de Serra, do Leste europeu e fomos para a parte praiana, no mesmo pais, na Espanha. Viajamos muito tempo, eram dias que se estenderam a quase um mês quando resolvemos parar ali em uma praia da Europa, porque ali havia água e poderíamos tomar banho. Acampamos as margens da praia. Não na areia, mas perto, sabe. E outra, perto de uma praia tinha sempre um riacho ou coisa do tipo para nossas mães fazerem comida.


Na verdade a parada não era ali naquela cidade, nós ainda teríamos que andar muito, mas sabe todo o acampamento estava seguindo para ir conhecer a família do meu noivo. Eu queria muito o conhecer. E ali faríamos as moedas (dinheiro) necessário para que tivessem as coisas do casamento pago o os presentes do noivo e da família do noivo comprados. Tudo isto era com a família da noiva.


Eu queria muito me casar, ter meus filhos. Queria muito!


Eu fui tomar banho com o meu irmão o Pedro, ele era o filho homem mais novo. Quando eu fui me banhar. Reza a lenda que cigano e povo sujo, mas não somos não. Sempre eu fui muito limpa sim! Sempre gostei muito de água, ai como nós não precisávamos arrumar lá grande coisa, porque éramos tidos como crianças, então fazíamos algumas coisas só. Ajudávamos, mas não era tão intenso como nossas mães e nossos pais.


Fui com Pedro para banhar. Eu estava me sentindo muito suja. Nossas mães faziam sabões ou conseguíamos trocar por moedas os sabões (comprar). Poderíamos ganhar também em troca de ler as mãos. Nossa preferencia era ler as mãos em troca das moedas, porque assim nossas mães iam comprar comidas para todos, mas se a pessoa quisesse nos dá sabões ou qualquer outra coisa aceitávamos, tudo nos servia, dividíamos tudo.


(Clique na imagem e ela aumentará).


Estava me sentindo muito suja, nunca gostei desta sensação, então entrei na água com vontade, mesmo não conhecendo direito aquelas águas do mar. E Pedro ficou mais na beirinha mesmo ali brincando. Água era ótimo. Era muito bom!


Como eu entrei com uma vontade de me banhar grande veio umas ondas fortes, isto era meio que pela manhã, não havia sol, tempo nublado. Vinheram uma onda atrás da outra e já na primeira eu fui mais para dentro do mar ainda, a onda e pegou de costas, eu não sabia direito como lidar com a água ela levou meu corpo carnal para mais para dentro do mar. Eu tentava sair, era desesperador, só me afundava mais e eu já estava longe a água foi muito rápida. Eu tentava, mas não conseguia. Bebi muita água salgada. Eu colocava os braços para o alto para alguém ver, Pedro viu (mas eu mesma só vi isto em espírito) e chamou todos os homens do acampamento que foram para me tirar de lá. Foi tão estranho, porque eu vi eles entrando e pegando o meu corpo no mar, me levaram para a areia, eu estava lá, falava com eles, mas eles não me ouviam. Chegou a ser desesperador, porque eu falava: não, não eu não morri não, eu estou aqui, olha pra mim, me vejam, mas ninguém olhava. Parecia que eles viam um vazio, um nada no lugar do meu espirito, só ai eu percebi que eu estava morta pela tradição terrena.


Minha mãe chorou muito. Ela ficou em estado lastimável até o fim dos seus dias. Ela viveu, mas uma parte dela “morreu junto comigo”. E a culpa caiu toda sobre ela e eu ali tentando explicar que a culpa não era de minha mãe Francisca, e nem do Pedro, mas ninguém me ouvia, ninguém me atendia.





Vaguei com eles durante duas décadas apenas. Queriam me chamar para ir ao astral, eu ia, mas fugia. Eu ai no acampamento ver meu noivo, porque meu pai foi com meu tio (irmão dele) e minha mãe dar satisfação para a família dele, então eu o conheci, ele era muito bonito. Não era lindo, mas bonito. Tinha o jeito meio rude de ser, que eu percebi. Eu tentava consolar minha mãe, mas ela não conseguia me ver e nem me ouvir e nem eu sabia como fazer para que ela me visse e me ouvisse.


Fiquei no acampamento lá por estas duas décadas, não que eu ficasse o tempo todo, porque não ficava, mas eu ia ao astral, via os perigos, dava um jeito de avisar o meu povo em sonho e ia tentando os guiar assim, até que me conscientizaram que mesmo lá fazendo o bem eu ainda não tinha luz e precisava ter e só teria como ter me afastando. Muito difícil que foi, mas assim eu fiz.


Minha mãe nunca mais eu vi, deve estar nesta terra encarnada ou até mesmo trabalhando em meios muito elevados do astral, porque por onde eu ando, não está. Sou do grupo no astral, chamado: Terra de Maria! Isto mesmo, há uma terra com este nome, são onde espíritos elevados ficam, não que eu mereça, mas habito em um acampamento cigano que há lá. Podem perguntar a Sete saias e a Oriente, porque elas são do mesmo grupo de lá, elas são do: Terra de Maria também. Mas sou de acampamento diferente do delas. Aliais cada uma estamos perto uma das outras, mas os acampamentos ficam razoavelmente longe uma da outra.


Lá é um lugar de muita paz. É terra de Mãe de Jesus a sempre doce e virgem Maria. Trabalhamos, servimos a Deus. Servimos a vocês para que assim a gloria de deus, ou seja, a graça de deus seja feita.


                                 




Gosto do perfume de Iemanjá. Das água salgadas. Do incenso de Iemanjá. Da areia do mar. Das conchinhas do mar, estrelas e caramujos do mar também,  posto por muito tempo no sol dias e dias.


Sou grata a vida! Grata pela mulher que me amou, grata pelo noivo que eu ia ter, grata pelos 16 anos que passei naquelas terras com minha família e fui muito feliz.


Mas tudo tem um fim e um porque também, somos nós que não compreendemos. E eu quem escolhi assim, pouco tempo de vida para voltar e trabalhar no astral. Amo servir a Deus. Gosto muito de trabalhar com frutas, com diversas frutas. Cada fruta uma propriedade, e em cada propriedade um elemento para se trabalhar a um fim diferente.


Eu uso um cordão grande até a altura do peito mais ou menos com um pingente de cristal, de ouro o cordão. Vez ou ouro troco este cordão, dependendo da função que preciso naquele momento o cordão e da mesma forma, mas com um pingente de pedra do mar azul, ou seja, que é com a pedra de Iemaná. Gosto de fazer magias para o bem com frutas, maçãs, cocos, abacaxis, bananas, uvas, peras, tangerinas. E gosto de tudo muito discreto.


Sou baixa, pele branquinha, porque eu era europeia e lá sol não bate quente, cabelos pretos lisos e olhos pretos também, boca pequena, pouco rosadinha, apesar dela ser de estatura magra a boquinha e gordinha. Gosta de usar tornozeleira e andar descalças. Usa roupas de varias cores, mas em especial azul claro, ou branco ou ainda verde se ela for trabalhar para a cura, pois o mar também tem a coloração verde mar.


Peço que rezem a Deus sempre! E quando quiserem rezem por mim a Deus na praia ou em qualquer lugar.





Pela Ciganinha da Praia, em 1 de abril de 2013
Canalizações: Sofia Clara e Esmeralda





02 abril 2013

Cigana Ariana do Oriente

                                                                             
(Imagem ilustrativa de como se parece aproximadamente esta cigana)



Não confunda eu sou a Ariana e não a Ariane. Tem diferença. Ariane é outra cigana muito bela também.

Antes começo este texto falando de quanto tão bela é esta cigana europeia. Não se enganem, meus queridos irmãos em Cristo, falam que nós somos do Oriente, mas Oriente é a linha dos Orientais, ou seja, viemos neste nome para trabalhar, pois este é o nome da linha cigana. Não são só os ciganos que veem trabalhar nesta linha, mas também os médicos espirituais, japoneses e outros povos que nesta linha encontraram um espaço para trabalhar prestando a caridade.


Então eu levo o nome de Cigana Ariana do Oriente, mas nasci mesmo foi na Itália. Viajei pela Itália toda com meu acampamento cigano. Sofri demais por amor. Sou branca, cabelos amarelados, olhos meio esverdeados puxando para o amarelo. Um lenço na cabeça amarelo com moedinhas de ouro pequenas por volta do lenço, na parte da testa, que vai até a parte dos cabelos. Roupa amarela de flores, mas na verdade eu uso mesmo são todos os tipos de cores, menos: preto, marrom e roxo. São cores que neutralizam muito o mal. Não gosto, pois do mal há outros povos do astral que cuidam de neutralizar estas energias negativas.


Gosto de um batom bem clarinho na boca, quase um rosa discreto. Sempre fui discreta. Gosto das cores, uma das minhas roupas preferidas é uma saia amarela cheia de moedas presas na cintura no xale também amarelo, amarrado na cintura e uma blusa branca. Correntes sem penduricalhos, pulseiras mesmo em forma de correntes de ouro nas mãos e um colar de correntes grossas de ouro com uma pedra jade, grande e bonita no pescoço. Esta é a minha pedra: Jade. Um anel de ouro também com uma pedra grande também de Jade no dedo do meio, da mão direita.




Uma cesta ovalada com flores do campo amarelos e egípcias brancas. E maçãs bem vermelhas na mesma cesta, porém do outro lado. Eu sou a cigana que cuida do amor. Sofri demasiadamente por amor. Casei-me com o homem que eu não amava, mas o que fazer se meu casamento já tinha sido planejado no dia em que eu nasci.


É claro que meu nome de batismo, um dos meus nomes, já que foram várias e várias encarnações não sou Ariana, mas foi neste Klã que me recebeu de braços tão abertos e aqui que eu gostei de me encaixar para prestar a caridade. Não sou filha da Cigana Florian e nem do Cigana Artémio não, esta é outra cigana Ariana que leva o mesmo nome que eu.


Meu marido não me batia, pelo contrário, ele era muito bom comigo. Seria o casamento feliz e perfeito e foi. Mas ele era bem mais velho e nem era por isto, mas é que meu coração batia mesmo por era por um moço de outro local, de outro grupo cigano. E às vezes nós nos encontrávamos quando haviam festas. Já que minha irmã casou - se com o irmão dele. E o homem que eu amava o único que eu amei por toda a minha vida casou – se com outra bela ragadça (moça em nossa língua Italiana). Eu já disse que nós falávamos Italiano?


Este moço eu tive apenas um beijo para me lembrar por toda a minha existência. Eu estava a beira de um rio, buscando água, no cantil para bebermos e para cozinharmos. Eram bastantes cantis. E no último cantil, na última volta, ele abaixou as mãos para beber água e apanhou um pouco de água nas mãos. Ele me disse que eu era uma bela ragdça. Alisou os meus cabelos e um beijo aconteceu.  Foi o meu primeiro beijo. E o único com amor. Foi tão bonito, os passarinhos nas árvores cantavam sabe, como quem embalassem o beijo. Eu nem sabia como que se beijava, eu tremia. Depois eu tive que me casar com outro. Foi um pacto assim que eu nasci meu pai me prometeu em troca de algumas moedas de ouro.


Casei-me e ele também. Éramos de grupos diferentes. Mas o amor, os nossos olhares sempre existiram. Mas sempre fomos muito respeitosos com nossas famílias e tudo o que havia era olhares e só um único beijo  aquele dia, antes de eu me casar, na verdade antes de eu conhecer o meu noivo.


Casei-me. tive três filhos homens e duas mulheres. E sofria pelo homem em que eu amava, mesmo nunca podendo pertencer a ele. Em uma noite no acampamento eu pedi tanto aquele homem a Mãe Lua, mas eu sabia que eu não podia e que eu não devia. Sempre fui obediente aos costumes.





Eu trabalho com as flores do campo amarelas ou vermelhas quando não tem amarelas, mas de muito certo que eu prefiro as amarelas. Trabalho com frutas também, gosto de cestas e me agrada muito também perfume de Jasmim. E como a maioria das ciganas eu prefiro muito mais a essência que o perfume, pois a essência é pura, o perfume misturado. Gosto de coco também, além das maçãs, na verdade eu me utilizo de cada uma das frutas, uma propriedade diferente para trabalhar.


Quando a pessoa está seriamente doente, eu peço que se sente e vá fazendo uma cesta com palhas verdes da folha do coqueiro e que vá trançando, mas isto não é sempre não. Gosto de trabalhar com o coco, com a água de coco que é muito boa também. Com a água da cacheira, que é da onde vem a minha força. Trabalho muito com as pedras da cachoeira. Posso vir na força de Xangô ou de Oxum. Depende, depende muito, meus queridos.


Eu leio baralho desde pequenina e depois de grande, com meus 16 anos minha mãe me ensinou o Tarot. Eu leio as mãos também, mas só quando tem a necessidade, porque gosto mesmo é do baralho e do Tarot também.


Eu quero deixar com vocês uma oração ao Pai Santíssimo Misericordioso de Cristo:
A batalha está dura, meus irmãos? Pense em Deus, viva Deus, se apegue Ele, e tire Dele toda a força necessária da qual você precisa.


Chorar, sofrer, se desesperar faz parte do processo da evolução do espírito, nada é em vão, meus queridos. Não percam a fé, por mais difícil que possa parecer. FÉ em DEUS, fé em tua vida, em tuas palavras. Lembre – se precisamos de tão pouco para viver. Precisar de algo é diferente de querer. Querer você tem esta necessidade da coisa, do objetivo, mas precisar é imprescindível, meus irmãos. FÉ na vida. Olhe para tudo o que o Nosso Senhor passou. Foi tanto sofrimento e hoje mesmo tendo que administrar tantos filhos Ele é feliz.


Deus, o Senhor, Meu Pai, que é todo poder e bondade extrema, mas que também é justiça. Sabemos que até a laranja doce tem a casca que se faz amarga, então vamos descascar o ruim primeiro para depois o bom ser mais proveitoso, pois ai vocês já conheceram o lado amargo. Antes passar o amargo aqui, que ter a necessidade de passar por ele na vida Eterna, pois lá é bem pior para os espíritos não merecedores. Os que não permaneceram na fé em Deus.


Fé em Deus e rezem muito, meus irmãos, só Deus dá o alivio que a alma que nós todos precisamos.


Pela Cigana Ariana do Oriente.

Psicografias por: Sofia e Esmeralda
Em 25 de Março de 2013.






01 abril 2013

O ninho do passarinho





Contado pela Cigana do Oriente 

Deus faz tudo certo. Estava observando como as pessoas se deixam ficar tristes.

Decerto que é difícil não perder o controle em muitas vezes, mas estava eu hoje, na casa de uma ponte minha (um médium, como muitos de vocês dizem) e pela janela do quarto dela observei o sol, o azul do céu e como aqui, apesar de ser uma cidade tem a mata cercando um pequeninho pedaço de seu quintal, percebi a infinidade de Deus.

O céu hoje azul tão bonito, o sol forte, mas não aponto de queimar vossas peles. Tudo tão certo e perfeito feito por Nosso Senhor Jesus. Quando se achares triste, veja o que o Nosso Senhor passou. Nenhuma tribulação chega nem a uma parte do que o Santo Jesus passou por todos nós.

Em uma das árvores avistei o que sempre vi, passarinhos cantando, alegres e felizes. É por isso que eu sempre digo, olhe para o canto dos pássaros, sinta a terra, se sinta.

Vocês pensam que os passarinhos não passam tanto frio que chegam a morrer no inverno? Vocês acham que é fácil encontrar abrigo no vendaval? Não, meus amores, não é. Mas vocês acham que eles ainda sim não deixam de cantar por quê? Porque eles, mesmos não tendo o total entendimento da vida, conhecem sua grandeza. Sempre costumo dizer que Deus é todo PODER, BONDADE e JUSTIÇA. São estes três ingredientes que devemos levar para a vida. E tudo na vida é para a evolução. Eu sempre digo isto nas cartas. E é verdade.


(Clique na imagem e ela ampliará).



Convido vocês a imaginarem um mundo lindo, cheio de coisas boas, só coisas boas. Só chás de frutas deliciosas, só ervas gostosas, só tudo de bom, tudo de melhor e de mais maravilhoso. Rios de sucos deliciosos, rios mesmo, meus irmãos. Rios de leite fresquinho. Convido vocês a não terem problemas e a passarem cem anos, um séculos mesmo, neste local maravilhoso. Afirmo que com uma década desde período, apenas dez anos, vocês não vão mais querer e vão reclamar, que o suco é muito puro, que o leite é muito doce, que as árvores só dão aqueles frutos, como maçãs, por exemplo, como laranjas, como parreiras de uvas.

Mas meus queridos, cada um só pode dar o que tem. Se eu tenho ódio como posso dar amor? Se eu tenho desrespeito, como posso me candidatar a caridade eterna? Sem lutas não há rios de bons frutos.

Todas as minhas pontes reclamam do que passam em suas vidas. Todas elas, e não conheço ser humano algum que não tenha ainda reclamado ou testado a Deus quanto a sua Misericórdia Divina. As pessoas dizem, por favor, Deus, pelo amor ao Seu Santo Filho, mas quando o problema aparece, não confiam em Deus. Oras, tudo pela evolução de vocês.

Há uma coisa que vocês ainda não compreendem: TUDO, EXATAMENTE TUDO O QUE SE PASSA AQUI FOI CONCORDADO E NA MAIORIA DAS VEZES PEDIDO POR VOCÊS MESMO. Tudo meus queridos, digo tudo quanto às provações.

Olhe para a rosa mais formosa, a mais bela, a mais linda de todas. Veja que ela também tem espinhos. Olhe para o mar como é belo e como é bom tomar um banho praiano, mas lembre – se que o mar também se revolta causando muitas vezes até mortes.

Tudo meus irmãos tem o lado bom e ruim. Não adianta vocês quererem ter um emprego ideal sem problemas, não adianta ter um casamento sem problemas, não adianta ter uma pessoa sem problemas. Tudo é exatamente como deve ser. E lembrem – se tudo é para a evolução de vocês. Se apeguem cada vez mais no amor em Cristo. Só Deus nos dá o alivio necessário. Rezem muito.



Canalizado por: Sofia e Esmeralda

                         Em 25 de Março de 2013