expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Blog's image

Seguidores da tenda

Jogo de cartas ciganas

Jogo de cartas ciganas
Mandando para 21 9 7989 8911 uma pergunta objetiva, seu nome completo e data de nascimento voce participa do sorteio de UMA PERGUNTA GRATUITAMENTE. Resultados postados aqui no blog, SEM exposição do nome.

30 março 2013

Cigana Ramira do Oriente



(Imagem ilustrativa de como se parece aproximadamente esta cigana)
   

Ramira, 

A doce Ramira de pele alva, cabelos amarelados e olhos verdes amarelados, trabalho muito bem com os metais: ouro e também diamante (quando tem).

Pulseira de correntes. Ela é a beleza em forma de mulher. Gosta mesmo é de sentar - se no chão para ler mãos. Usa um lenço vermelho em seus cabelos, afinal é uma mulher de meia idade.

Desencarnou com seus quase quarenta anos. Ela viveu no ano de 1849. Ela pede que quando alguém estiver triste pegue terra nas mãos e vá pedindo a ela para tirar as tristezas, que revitalize a alma três dias seguidos.
Se puder fazer isso chame Ramira, ela virá ao teu encontro. 





Ramira lê mãos, não gosta de cartas, só quando tem necessidade, mas ela gosta mesmo e de mãos.

Ela nos conta que o desencarne foi no parto do seu oitavo filho, quando já tinha quase quarenta anos por complicações. Ela teve que escolher entre a vida dela e de seu filho, como mãe zelosa ela optou por deixar que seu menino nascesse e crescesse forte e saudável, como foi!

Ramira, como mãe amorosa e zelosa nos diz:

'' Sabe filha é tão ruim não ver o filho homem crescer. Filhos eram importantes naqueles tempos. E nós ciganos rola a ideia que eramos luxuosos, mas não tinha mesquinharia conosco. Se tivesse pão todos comeriam pão! Não escolhíamos! ".

Ela deu o tão sonhado filho homem ao marido, as o parto teve complicações, e entre o menino e ela, ela escolheu o menino. Ramira entregou o filho ao marido e desencarnou.

Ela é leitora das runas, mas com preferência de leitura das mãos. Quando os médiuns que trabalham com ela vão canalizar para ajudar, ela pede um tanto de terra perto, esfregue nas mãos e assim a chame para que com amor ajudar a quem precisa.

Protetora da fartura, ela nos conta ainda que mais que das farturas ela é protetora dos partos, conta que percorreu estradas de carroças e charretes, embolada em xales, amei e fui amada, tive muitos filhos, era como ser glorificada, era sinal de mulher boa, afinal era a perpetuação da raça, com orgulho.

Falando mais um pouco dela, ela nos conta que apreciava vinho, fumava calmamente o cigarrinho feito a mão, mas ela também nos diz que com as pontes (médiuns) dela, ela aprendeu a apreciar aqui a champanhe, e nos diz que acha muito bom esta bebida!!!

Conta que era alegre e risonha. Amava o marido, pois coisa que era rara, Ramira casou - se por amor. O seu pai permitiu que ela casa - se com o homem que amava.


Ela disse ainda que gosta muito de essências de: Eucalipto e Rosa Branca.

E como na maioria dos ciganos, prefere muito mais essência, por ser pura. Já o perfume é misturado.

Com amor,

Ramira!




A cigana que ajuda a parturiente

Oração da Cigana Ramira à Deus, Nosso Senhor! 

Deus, Nosso Senhor, tenha de misericórdia desta alma que sofre. 

Tente miséricordia desta parturiente que com a sua plena graça de amor e bondade dará a luz a uma criança forte e sadia. 

Não permita, Senhor, Meu Deus, que esta mãe faça a passagem antes da hora, deixando seu filho em braços desconhecidos que não seja de sua mãe. 

Deus tenha de piedade nesta hora, com este parto tão difícil. 

Entrego - te, Pai Amado e Eterno, a vida desta mãe e deste filho. 

Que Santa Catarina possa pedir a Vossa Misericórdia Dvina, que Maria Santíssima, protetora das mães desamparadas, possa interceder por esta causa. 

Ajudaí, Senhor, como um dia Teu filho, o menino Jesus de Nazaré, foi ajudado pelo Anjo Gariel, ainda na manjedoura. 

Peço - te, Senhor, que por toda a Tua graça e o Teu amora criança possa ser sadía e sem defeitos. 

Que a mãe, a parturiente, possa sair deste parto complicado com vida para criar, cuidar e zelar por seu pequeno filho. 

Que a Mãe Terra possa florescer plenamente com outros filhos. 

Em nome de Jesus, de Deus, de Santa Maria, de Santa Catarina e eu aqui Cigana Ramira como tua Cerva, Pai, lhe pedindo e já agradecendo a Graça. 


Em dezesseis, de Março, de 2013. 

Canalização e preparos escritos: Sofia e Esmeralda


29 março 2013

Cigana Celoi do Oriente



(Imagem ilustrativa de como se parece aproximadamente esta cigana)



Começo dizendo, meus queridos que Deus é o centro do Nosso Universo. 

A força divina é linda e maravilhosa e faz tudo certo. 

Para esta canalização pedi apenas que ela (eu, Sofia) ficasse em uma aragem de Sol, um copo com água filtrada em copo transparente no Sol e um incenso de Girassol ou de Sol (mas se não tivesse não teria problema). Uma prece a Deus feita em seu coração. Mentalize Cigana Celoi do Oriente, e eu tendo autorização, meus queridos e amados irmãos em Cristo, estarei com vocês os ajudando no melhor possível. 

Há também a Pomba Gira Celói e a Pomba Gira Cigana Celói do Oriente, mas os afirmo que não é o espírito que aqui fala com vocês, SOU CIGANA CELÓI DO ORIENTE. 

Sou branca, olhos e cabelos pretos e lisos e grandes até a cintura, embora eu me plasme como dona de um corpo de meus 30anos de idade, eu desencarnei aos meus 52, quase 53anos, vítima de uma contaminação na época, onde eu peguei água da cachoeira para beber e cozinhar. Nós não sabíamos éramos novos naquela cidade e não sabíamos que aquela agua limpa estava contaminada. 

Foi a cólera, muitos desencarnaram em nosso grupo cigano nesta mesma época, isto a longos anos atrás. Claro que eu chorava de dor e que pedia ao Nosso Senhor Jesus Cristo de Nazaré para me fazer sarar, mas tive meu desencarne. 

A vontade de Deus foi feita, só que eu não aceitei em um primeiro momento, porque eu, mãe de seis filhos, me preocupava com eles e principalmente com as filhas, já que eu tinha que educa-las para as tarefas domésticas para o casamento. E tinha uma filha minha que eu estava tentando juntar moedas (dinheiro) para a festa de casamento dela. 

Um pena eu não tive vida para vê – lá e abraça – lá em carne, mas eu vi em espírito, no astral. 

Hoje eu trabalho com ela no astral, se chama Cigana Samira do Oriente. Ela trabalha com as flores e eu com o Sol. Samira está aqui ao meu lado, trabalhamos juntas, embora seu desencarne tenha sido muito depois do meu, porque ela se casou, teve filhos e netos e depois desencarnou em idade já bem avançada. (Esta é a minha Samira, mas ela não é a única, então procurem saber quem é a Samira de vocês). 

Minha menina amada tem forma em jovem. Ela não esconde a idade com vergonha, mas trabalhamos juntas e ela gosta que eu seja a mãe e ela a minha filha amada a quem eu tive o parto mais complicado. 

Mas Samira virá em outras oportunidades. 

Retomando sobre mim, corri o mundo: Espanha, Ásia, África e Oriente. 

Fiquei surpresa quando me pediram para falar de minha história, pois ninguém geralmente quer saber. Querem que nós os ajudemos nos problemas, mas procurar mais de nós, não. Eu falo com prazer sou a cigana das flores, eu amo as cores, o Sol e tudo o que o bem Deus criou. 

Sou a protetora da família, voz ou outra mentalizo a fartura dentro das casas das pessoas que me pedem, sou Cigana Celói Oriente. Gosto das águas do mar também, trabalho com ela e com a força de Iemanjá. Gosto também de trabalhar com as conchinhas do mar que se em consagradas, dão firmeza e sabedoria. 

Trabalho com alguns oráculos que domino bem, afinal desde 1503, quase 1504, que foi quando reencarnei na terra pela primeira vez como CIGANA, que trabalho com estes oráculos. 

Depois reencarnei mais duas vezes, totalizando três vezes como uma cigana, tendo a última sido nos anos de 1.900. Esta encarnação da cólera foi a última que eu tive. 

Hoje sou feliz no astral e não pretendo pensar em reencarnar. Gosto do meu trabalho. 





Gosto do Sol, não da noite, mas respeito a quem nela trabalhe assim como peço que me respeitem. 

Nasci na Espanha, mas como viajei o mundo todo com minha família, meu acampamento, domino bem alguns oráculos que reaprendi através das encarnações que tive. 

Jogo Tarot (o primeiro tipo que surgiu), baralho (mas o baralho com cartas de jogos de azar), o baralho cigano Petit Lenornand, leio borra de café, que como vocês devem saber quem que ser em uma xícara branca para que possamos ver o fundo e café forte com bastante pó e sem açúcar e só a pessoa que vai terá sorte lida pode beber deste café e ser jogada a borra na terra. 

Leio cristais e alguma coisa de runas. As runas eu sei entender, mas é difícil eu usar, porque eu não domino e prefiro saber o suficiente para mim tirar minhas dúvidas e só. E deixar o resto para quem realmente compreende. 





Flor preferida é o Girassol, perfume é o de Girassol, incenso é também o de Girassol, mas aceito os outros de muito om grado. Gosto do amarelo, sempre uso. Agora quando eu viro também para a linha de Iemanjá também gosto do azul. 



Sempre veja o Sol. Quando vocês precisarem, meus queridos, peça a Deus e mentalize a mim, quando vocês estiverem no Sol que eu vou ajudar. 









Um beijo em cada um que for ler estas palavras. 

Luz, paz e amor no coração de vocês. 

Fiquem com a bondade de Deus, Nosso Senhor, 

Cigana Celói do Oriente 

MATÉRIA E REVISÃO: SOFIA E ESMERALDA, Em 14 de Março de 2013.