Magia dos Cigano do Oriente

Magia dos Cigano do Oriente

Seguidores da tenda

Google Translate

segunda-feira, 29 de junho de 2015

Oração ao clã das Ciganas(os) do amor




Deus, que sua infinita misericórdia resplandeça o sentimento do meu amor verdadeiro. Que este brote sempre do meu peito, sem cessar. Confio em ti e sei que os seus planos são maiores que os meus.

Peço a Cigana Sete Saias do Oriente um amor limpo, tranquilo e descente. Uma relação que dê bons frutos na cesta. Um casamento, namorado, marido, filhos (pedir a graça que se deseja, geralmente referente ao amor), que seja algo limpo que eu te invoco, uma coisa dada por Deus para mim (nome de quem está a pedir), limpa, descente e honesta.

Te peço trabalha para mim Cigana Sete Saias do Oriente, do clã do amor verdadeiro. (O que nem sempre condiz com o que vocês pedem).

Ponte: Sofia Clara






segunda-feira, 15 de junho de 2015

A cigana Rosa do Oriente e seu altar

(A cigana Rosa do Oriente é parecida de rosto, corpo e cabelos com esta cigana Teresa do Oriente, aqui pintada brilhantemente pela artista e pintora Maria do Carmo da Hora).



A cigana Rosa do Oriente e seu altar

Sobre a cigana

Rosa não é magrela. É uma cigana que desencarnou tarde, mas tem a aparência de uns 24 anos mais ou menos. Vestida aqui chegou de blusa estilo cigana de falsa maguinha rosa e saia da mesma cor rosa, branca, vermelha, amarela e laranja.
Viajou por toda França com seu grupo cigano e também viajou mundo afora. Nasceu na França. Trabalha muito com elemento terra, joga cristais (ela lê cristais). Perguntei a ela o que era “jogar cristais” e ela me disse que os lê. Explicou-me que não são todas, mas a maioria das ciganas Rosas trabalham para o amor. E que este amor não se restringe apenas entre casais, mas também amor à vida, a humanidade, ao bem estar.
Lê cartas e mãos. Gosta do colorido, toma champanhe, lê bola de cristal. Rosa além de trabalhadora do klã do amor é também do grupo dos ciganos encantados. Gosta muito do metal ouro. Exige de seus “filhos” a simplicidade e não gosta da arrogância. Usa pulseira de medalhas de ouro. Cabelos cacheados bem pretos e pele branca. Jeito delicado, mas ao mesmo tempo bem alegre, bem expansiva.
Impressiona-me é que ela é muito alegre mesmo, risonha, é delicada em suas feições, mas ao mesmo tempo gosta de falar de si, pelo menos chegou aqui assim.






Altar da cigana da rosa:


No seu altar e mesa de baralho não podem faltar o cristal. Um potinho ou um porta joiazinha pequeno com um pouco de terra. Terra preta mesmo e não barro. Um leque que pode ser em miniatura ou tamanho real. Tudo devidamente consagrado no sol por algumas horas.
Rosa me conta que também gosta de ter em seu altar além de champanhe doce e de vinho para o cigano, ela gosta de ter uma taça com água de chuva. Disse que que as coisas que a mãe natureza oferece bons elementos para trabalho. Gosta de ter tanto no seu altar quanto na sua mesa de trabalho com o baralho uma peça de ouro. Pode ser um anel, um cordãozinho ou moedas, até mesmo uma moeda.
Gosta do colorido, muita cor em seus trabalhos e altar. E gosta também de rosas vermelhas, amarelas ou rosa. Prefere que os elementos de seu altar sejam trocados as sextas – feiras bem como uma vela branca para santa Sara. Nos templos trabalha vibrando Iemanjá. Gosta de dançar e cantar. No seu altar quando seus filhos têm condições ela pede três rosinhas (uma vermelha, uma amarela e uma rosa).

Observação: Pessoal, as rosas são as vezes quando quiserem e puderem a cigana disse ao se despedir: “Com carinho dedicado que Cristo possa ajudar a cada um de todos vocês. Que a luz sagrada sempre estejam com vocês eu me despeço com alegria. Cigana rosa do Oriente” e subiu.   


Por Sofia Clara Kalinin e Lavínia
Blog Magia dos Ciganos do Oriente






segunda-feira, 8 de junho de 2015

A cigana da Água


 


A cigana da Água...

         Esta é uma cigana que diz ser do Sul da Ásia Oriental. Me pediu para fechar os olhos e relaxar que ela se mostraria como é assim fiz. 
A saia dela é colorida, mas predomina os tons de azul. Tem amarelo, laranja, mas o azul, vários tons de azul é sua marca. Ela é não negra, mas com a pele queimada do sol, sabe, parece que o sol é bem agressivo e matrata a pele. Seu cabelo é grande, negro. Ela tem uma espécie de franja. Parece um cabelo mal cortado. É uma franja cortada, sabe... beira mais ou a altura do queixo. O cabelo é levemente ondulado. Ele torna - se ondulado mesmo é das costas até a cintura. Eu não consigo tocar em seu cabelo, mas me parece bem pesado. 
Com os olhos fechados, eu pude a ver a Cigana da Água rodando. Eu não sei se dá para entender, mas eu vi como se ela estivesse sabe uma espécie de furacão?! Então um furacão, mas em escala menor de vento, ne rs. E ela ali rodando com aquele vento todo a sua volta e um pandeiro na mão. Ela está descalças. As fitas do pandeiro vão até altura do joelho dela mais ou menos, sabe, bem colorido. Sua saia é bem colorida, mas os tons de azul são que me impressionam. É azul água, azul céu e também um azul que não sei explicar parece um azul forte que pegou tinta branca e ai fica aquela cor meia mesclada. Fui ficando meia tonta. Ela tem uma cinteira cheia de moedas douradas. Sua pulseira é de ouro, de moedas também. São bastantes moedas rs rs. Nem vejo a corrente da pulseira, só as moedas... rs.
Eu perguntei qual seria a vibração e ela disse que é de Oxalá, mas que ela não quer falar para não misturar nossa mente. A roupa dela e saia bem rodada, não típica daquela parte do mundo, onde se usam muitas túnicas. A blusa é de manginhas coladinha e xale. 
Esta cigana andava bastante com seu grupo pelas estradas, montes ( a vi subindo montes com outros de sua família ) com os animais pela estrada. Haviam burros carregando os pertences dos ciganos e os montes tinham bastante vegetação. Lugar bem frio. Pelo menos a época a que fui remetida era fria. Ela rodou grande parte da Ásia, Mongólia, pois lá existiam muitos povos nômades. Ela gostava de cozinhar. Contou que era muita comida e que não havia muita fartura não. 
Teve problemas com doença. Trabalha com cura, chás de ervas e chás de frutas. Ela é chamada de cigana da água, porque trabalha com sentimentos. Eu não disse amor. Não este amor que vocês reconhecem como único e pleno, mas com sentimentos necessários aos homens para cumprirem suas vidas. Ela me faz um alerta que água é remoção. Ela é purificadora de emoções, renova e transforma. 



A cigana da água sempre trabalha com um jarro ao seu lado. Este jarro de barro pode ter uma moeda dentro ou não. Isto varia de acordo com a intuição que se recebe. 
Conta-nos que perambulava com seu grupo de um local ao outro. Morreu na estrada em idade mediana, mas já tinha cumprido suas tarefas. Não era muito de oráculos cartomânticos não. Ela tinha uma espécie de dom, uma facilitação com a cura na época de encarnada. Por este meio ela trabalha hoje com a cura.
Seu nome é Cigana da Água, porque ela atua renovando sentimentos, as emoções. Poderia ter sido com qualquer outra força da natureza, mas ela é com a água. A água é uma canalizadora de muitas energias que podem ser boas ou não tão boas, mas cabe ao que usa fazer um bom uso para que assim não contraia dívidas. Trabalha com um jarro ao lado ou copo de água. Sua vidência é feita por alí também. Não gosta muito da vidência, prefere as remoções de sentimentos tristes. A água é símbolo de renovação, porque a água se renova. Água parada não é bom, assim como jarro de água parada não se é bebível. 
A participação índia em sua vida é muito atuante. .É dançarina, sorridente, mas dando consultas é séria. Trabalha usando um xale nos ombros. Faz leitura de mãos, mas se importa em fazer. Diz que assim como respeita, mas água de praia não é de suprema importância para ela, a de cachoeira não lhe é tanto também. Adverte que uma entidade não trabalha só com determinados conhecimentos, mas sim com o maior número possível de ferramentas que possa conduzir com maestria seus trabalhos. Trabalha com terra, lua, é cigana que tem uma preferência maior na noite para seus trabalhos, (durante o sono das pessoas ) porque está diz que de noite a mente se acalma e o corpo se torna menos denso energéticamente do que normalmente é para que assim possa ter certeza de opiniões, forma - las ou tentar retira - las. Diz que muitos atentados são feitos a noite, atentados psíquicos, espirituais, mas que a noite também se é feita uma limpeza densa entre os espíritos guerrilheiros de luz.
O incenso dela é qualquer um que lhe ofereça sem muitas exigências a preferir os florais e de ervas. Perfumes o mesmo, fragrâncias florais. Faz magias com comidas. Sinto nela um misto de tudo, terra, água, flores, ervas, limpeza. Atua em pessoas com sensibilidade de autoestima. 
         O azul que ela emana nas suas roupas é além da paz cor da água que ela trabalha. A preferência seria mais para água doce, pela ingestão, mas em sentido de magística ambas tem grande importância. Dá para se trabalhar com tudo na água. Ocorre que na água salgada é mais fácil de se fazer limpeza pelo sal que é grande condutor de energia. Na doce é boa para se canalizar também, mas no trabalho dela é preferível para se beber, magias com ingestão , mas claro que também se limpa ambientes com ambas. Qualquer coisa com água é grande condutor energético: água com cristal, pedras, uma fita dentro dela, com  moedas. Moedas limpa, traz fartura...  


Cigana da Água
Em 14 de Maio de 2014
Canalização: Sofia Clara e Lavinia
Blog Magia dos Ciganos do Oriente





segunda-feira, 25 de maio de 2015

Banho para o amor




Este banho foi passado pela cigana Lenira. Peço CONSCIÊNCIA na hora de faze lo.
“Pegue o nome da pessoa que queres e que já esteja em sua vida – e lembres bem isto é só um atrativo. Milagres eu não faço e  Lenira riu...”
Fazer três dias seguidos este banho.

Três rosas vermelhas (Uma para cada dia), açúcar, mel, seu perfume, nome do homem em papel escrito sete vezes a canela vermelha e embaixo e o seu cruzado sete vezes por cima.

Modo: Coloca a água para ferver, me chame e coloque o nome dele no papel aberto com o seu por cima, vira uma cruz. Depois você vai emitindo desejo sexual, amor, atração, paixão, calor e ardência. Mentalizando que o homem tenha por você e apenas por você.

Quando ferver bem, apagas o fogo e deixa esfriar ao natural. Sem por no gelador (geladeira). Ideal é nos três dias mentalizar tudo isto.

Desfolha uma rosa quando a água esfriar um pouco; põe o mel, açúcar, perfume e põe também muita mentalização alí.

Repita este banho por três dias seguidos e se for encontrar ele em algum dos dias melhor ainda. Tente fazer antes de ir vê lo.

Por Cigana Lenira da Estrada
Canalização: Sofia Clara
Em 22 de Novembro de 2013
Blog Magia dos Ciganos do Oriente


domingo, 24 de maio de 2015

Santa Sara

Hoje é dia de Santa Sara! Sejam muito bem - vindos todos os que por aqui passarem nesta caravana de luz que a cada dia só aumenta mais. Graças a Deus!

(Clique na imagem e ela ampliará).


Hoje vou contar um segredinho para alcançar uma graça. Ela é feita especialmente no dia de hoje ou dia 25. Dias considerados de Santa Sara. 

Pega um pão de sal (qualquer um); coloque seus pedidos feitos à lápis em um pedaços de papel branco ou amarelo e sem pautas. Dobre de forma que fique um pedaço pequeno o papelzinho. Coloque dentro do pão. Faça isto quando a noite cair. Ofereça a santa Sara debaixo da lua. Qualquer lua, menos minguante. Este pão deverá ser entregue em um jardim ou posto enterrado perto e\ou dentro de sua casa. Não precisa acender um incenso ou vela. Apenas o faça se desejares. Faça uma oração pedindo a graça alcançada e que assim como a lua está no céu sua graça seja alcançada. Você deverá fazer por três dias. Lembrando - se de recolher o pão e não deixar que entre em contato com o sol. Pode colocar em seu altar ou em um lugar longe da luminosidade pelo dia. E pela noite exerça o preceito. 

Explicando o encantamento: 

O pão contém fermento. Este mata a fome e faz aumentar a massa. O sal na medita certa dá sabor ao alimento. A lua é prosperadora. E não se esqueça de sua fé, pois este é o elemento principal de qualquer reação da natureza. Poderá ser oferecido também aos seus ciganos.


Intuição dos Ciganos do Oriente
Sofia Clara Kalinin

sexta-feira, 15 de maio de 2015

Dia das mães

(Clique na imagem e ela ampliará).

Olá, queridos!
Foi inviável estar aqui no domingo para desejar a todas as mães um feliz dia delas. Para não passar em branco esta aqui minha singela e atrasada homenagem. Hoje estou me sentindo melhor, então vim ao blog deixar aqui uma pequena homenagem. Para todas as mães desejo que Diel recompensem vocês por cada noite mal dormida, amor dado, carinho e dedicação com estes filhos do mundo.

Sofia Clara Kalinin



segunda-feira, 11 de maio de 2015

Cigana Maria da Catalunha





Vem da linha do Oriente. Trabalha com fogo. É mentora também em mesas denominadas kardecistas. Foi casada. Teve sete filhos. Três deles mortos e outros criados. Batom vermelho. Cabelos cacheados, grande. As vezes usa uma flor vermelha na cabeça. Nasceu em seu acampamento cigano como todas as outras nasceram e nascem ainda nos dias de hoje. É meiga, mas séria. É cigana do amor. Entregar sua cesta em grama ou parques pela noite. Usa leques. Vermelho, dourado, verde, azul, lilás são suas cores, uma mistura de todas. Usa o branco também. Usa um lenço atravessado em sua cintura. Lenço vermelho. Tem lenço em sua cabeça. Trabalha muito com fogo, lua e as estrelas. Gosta da força da noite. Gosta da dança e também de dançar. Joga carteado no seu próprio lenço de cabeça ou da cintura. É uma cigana estudada por falar outras línguas que não apenas seu dialeto e isto se dá pelo fato de Maria ter viajado por Espanha (onde ela nasceu e morreu), França e Portugal. Amou um homem, mas com ele não pode se casar. Era um gadjo... Ela se casou bem novinha, mas só passou a ser de seu marido com maior tamanho. Usa véu também para dançar. Gosta de moedas. lê borra de café que aprendeu com uma cigana que casou - se com um dos seus e foi morar na tribo deles. Fuma. Gosta de pedrarias e metais. Klã do amor. Gosta de rosas vermelhas. Joga um tarô antigo... mas eu, Sofia, não consigo captar o nome. Passa muitos chás e banhos ambos de rosas e flores diversas. Perfumes ela gosta sim, mas faz preferência por pura essência. Trabalha com os ciganos Pablo e Wladimir. Vinhos e champagnes doces. Tecidos de suas roupas, embora com náguas são tecidos finos e bem coloridos. Gosta dos temas florais e aceita incensos florais também. Drusa de ametista. É uma das suas pedras favoritas de trabalho. Pede geralmente velas, porque nem sempre seus médiuns podem com fogueiras. Suas magias são na beira da fogueira. Danca sim, sapateira lindamente na terra e toca também violão e outros. Usa castanholas.
Por Cigana Maria da Catalunha
Canalização de: Sofia Clara e Lavinia.
Em 14 de Junho de 2014
Blog Magia dos Ciganos do Oriente